Translate - Tradução

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

SEGUIDORES

Não perca o próximo artigo

Pesquisar Neste Blog

quarta-feira, 16 de março de 2016

O PT perdeu não caia na sua armadilha.

 Não podemos sucumbir às armadilhas retóricas do PT {Titulo original}

No clássico O Mágico de Oz, a menina Dorothy Hale é levada por um ciclone até uma terra fantástica dominada por bruxas e por um poderoso feiticeiro. Logo que chega ela cai em cima de uma das duas bruxas e a mata. Desejando voltar para casa, ela resolve se juntar a um Espantalho, um Homem de Lata e um Leão covarde que desejam ter um cérebro, um coração e coragem, respectivamente. 

Para conquistar suas aspirações, eles se juntam para ir ao encontro do poderoso Mágico que controlava a Terra de Oz, o único capaz de realizar os seus desejos. No caminho eles derrotam a Bruxa Má do Oeste, após terem contemplado todas as realizações do Feiticeiro. Quando chegam ao Palácio de Oz para implorarem por ajuda, se descobre que o poderoso governante era apenas um homem pequeno e fraco, que se impôs sobre todos por meio de truques. O governante autocrático era apenas um grande embusteiro.
Mas porque falar de uma histórica infantil aqui!?
Todos nós sabemos que desde o ano passado se aventa a possibilidade de Lula ser nomeado ministro pela presidente Dilma Rousseff. 
A hipótese ganhou força após a divulgação do depoimento do senador petista Delcídio Amaral, que basicamente implodiu os pilares da República ao expor as entranhas do Partido dos Trabalhadores. Após a abertura de processo contra o ex-presidente Lula e a condução coercitiva feita pela Polícia Federal, os petistas e suas linhas auxiliares passaram a falar publicamente que o ex-presidente criminoso deveria ser nomeado, que faria excelentes propostas que tirariam o Brasil da crise política e econômica. Na verdade o que se pretendia era beneficiar Lula com o foro privilegiado. A conjuntura política e econômica engrossou as manifestações contra o governo marcadas para o dia 13, e os protestos registraram os maiores números da história. A partir daí o partido do plano criminoso de poder abdicou de suas máscaras para enfrentar o povo brasileiro e a justiça, afirmando claramente que se Lula não fosse feito ministro o impeachment seria inevitável. Um absurdo do começo ao fim.

O Brasil assistiu atônito as declarações de que a nomeação já havia sido feita, e que Lula seria uma espécie de superministro com poderes imperiais: Lula poderá interferir tanto na economia quanto nas decisões do governo e até na ABIN. Questionado, o líder do PT na Câmara José Guimarães (aquele do assessor com dólares na cueca) debochou da notícia de que a oposição iria entrar com uma ação popular contra a nomeação. “A oposição não tem mais o que fazer? Vão querer governar agora? Quem governa é a presidente Dilma e ela nomeia quem ela quiser!”

Como era de se esperar, a notícia causou revolta. Muitos desesperados voltaram a falar em intervenção militar, outros em levante popular e os petistas e linhas auxiliares começaram a dizer que agora o impeachment já era, e até que Lula virá com força em 2018. As esmagadoras manifestações que enfraqueceram Dilma sumiram do noticiário, dando lugar a um partido que não teme à justiça e que faz pouco dos brasileiros. A mensagem é clara: “Nós fazemos o que que bem entendermos”.

Não é assim que funciona. Dilma não pode fazer o que quiser, e o PT não está acima da lei. As recentes derrotas do partido (como a fracassada tentativa de nomear Wellington César de Lima e Silva para pôr cabresto na Polícia Federal) mostram que o partido não está tão forte como tenta nos fazer crer. Da mesma forma, Lula ministro não muda o cenário desfavorável ao governo. 

Eventualmente alguns nomes como Renan Calheiros e Leonardo Picciani podem se unir ao golpe, junto com o engavetador-geral da República Rodrigo Janot. Mas os fatos não mudam: se Dilma cair, leva Lula junto. 
O destino dos dois deve ser a cadeia de uma maneira ou de outra. Fora que essa tentativa pode até abreviar o impeachment de Dilma. 

O jornalista Eduardo Bisotto nos lembra que a crise política no governo de Getúlio Vargas só piorou depois que o fascista anunciou a nomeação de seu irmão Benjamin para Chefe da Polícia do Distrito Federal. A clara tentativa de atrapalhar as investigações do atentado contra Carlos Lacerda deteriorou a crise e tornou o governo Varga insustentável. A saída encontrada pelo populista foi uma bala no peito.

O PT tenta se mostrar como poderoso às vésperas da manifestação governista do dia 18. A militância inflada irá para as ruas com a certeza de que o seu império do mal não está ameaçado. Do outro lado, o povo fica com a sensação de que o lado negro é indestrutível. Mas isso não é verdade. O PT não tem apoio no Congresso para passar nenhuma das suas propostas. A oposição está cada vez mais capitaneada pelo DEM, que com apoio do PPS, Solidariedade e PSC estão conduzido o débil PSDB para uma postura mais assertiva. Sim, apesar de maior, o PSDB conta com poucos nomes combativos, entre eles Antônio Imbasahy, Bruno Araújo e Carlos Sampaio. O PMDB praticamente rompeu com o governo e a rejeição popular ao governo Dilma está em 94%. Sendo assim, como é possível conceber que a simples nomeação de Lula para a Casa Civil pode reverter esse cenário?

Já dissemos isso aqui e repetimos: a estratégia petista de ultrajar o povo, a justiça e as instituições é própria dos vilões da ficção: a princípio eles sempre parecem invencíveis e sempre se mostram como indestrutíveis. A cada sinal de avanço, os inimigos sempre dizem que resistir é inútil. E ainda ameaçam: quando aquilo terminar, a resistência será aniquilada. 
Não devemos dar ouvidos a isso. Assim como o poderoso feiticeiro de Oz que dominava a terra com ilusões e embustes, assumindo a autoridade sobre a terra sem dispor de nenhum meio que não sua mente ardilosa, a máfia petista não dispõe de coisa alguma que não sua sanha criminosa e sua sanha pelo poder. 
Na própria América Latino vemos exemplos, como Cristina Kirchner e Nicolás Maduro. o kirchnerismo foi derrotado e o bolivarianismo está nas cordas na Venezuela. 

Aliás, o povo já derrotou tiranos piores na Europa, como Nicolae Ceausescu na Romênia e Víktor Yanukóvytch/Vladimir Putin na Ucrânia. Repetimos: devemos ter frieza para não cais nas armadilhas retóricas do PT. Tempos atrás ninguém imaginava que seria possível dar força ao impeachment. Por inúmeras vezes o PT vendeu a ideia de que o impeachment era impossível, iriamos ser derrotados e que o impeachment havia subido no telhado. 

No final, o que vemos é uma direita fortalecida e manifestações históricas. Eles são monstros imorais, uma sindicato de sádicos e psicopatas. Mas mesmo os piores monstros podem ser derrotados. E o petismo será.


por:Eric Balbinus

Estudante de Relações Internacionais, conservador e corintiano.

FONTE:  

Nenhum comentário:

ONDE O ANARCO CAPITALISMO FUNCIONOU?

TESTE SUA VELOCIDADE