Translate - Tradução

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

SEGUIDORES

Não perca o próximo artigo

Pesquisar Neste Blog

domingo, 28 de setembro de 2014

Desarmamento é apenas um argumento para proteger marginais.

Um assunto que me chama bastante atenção ultimamente é o do "desarmamento da população civil". Os desarmamentistas (a maioria deles de esquerda) pregam que "armas matam e que, por isso, devem ser retiradas das mãos das pessoas" (seguindo esse raciocínio, carros devem ser proibidos, pois acidentes de trânsito também matam). 

Quando você argumenta que países cuja população civil possui mais armas per capita são mais seguros, o desarmamentista fala que não tem nada a ver, que esses países são seguros por que possuem mais educação, empregos, renda per capita etc, (nas entrelinhas, querendo dizer que bandido é bandido porque é pobre, mas não tem coragem de dizer isso numa favela).


Pois bem, fui conferir a validade deste argumento "educação-renda" e chego às seguintes conclusões:

- Sendo bastante rigoroso com os números, 9 países (Namíbia, Zâmbia, Paquistão, Iêmen, Tailândia, Peru, Paraguai, Macedônia, Bósnia e Herzegovina) possuem IDH, renda per capita e índice de educação da ONU igual ou inferior ao Brasil, mas possuem mais armas e menos homicídios per capita.

- No entanto, tomei a liberdade de incluir outros seis países (Jordânia*, Sérvia*, Montenegro**, Costa Rica***, Argélia**** e Barbados*****) que, apesar de ou terem o IDH levemente superior ao Brasil ou um número de armas a cada 100 mil habitantes próximo ao do Brasil, possuem taxas de homicídios per capita ridiculamente baixas. Com isto, temos 15 nações de diferentes continentes (3 da África, 4 da Ásia, 4 da Europa, 2 da América Latina e dois da América Central) onde o argumento de que segurança tem a ver com a educação e qualidade de vida do povo simplesmente não se sustentam.

Encurralado por fatos sólidos, o desarmamentista tenta a sua última cartada (em vão), que é o fator cultural. Ele alega que o brasileiro não está preparado para ter armas, pois as pessoas são "esquentadinhas" (existe algum estudo antropológico mostrando isso?) e que todo mundo iria se matar em brigas de trânsito ou no bar.


Pois bem, então como explicar que os EUA, país com mais armas per capita no mundo e 100 milhões de habitantes a mais que o Brasil, possui cerca de 14 mil homicídios por ano, 1/4 em relação a nós, que já superamos as 56 mil mortes por ano? Melhor, como explicar como o estado Vermont, cuja legislação de armas é somente a Segunda Emenda, é um estado mais seguro que a Califórnia, que possui uma das mais rígidas legislações sobre porte de armas dos EUA? Estou falando do mesmo país, não adianta colocar a culpa no "fator cultural".

A verdade é que, assim como os esquerdistas, desarmamentistas argumentam com base no mundo que eles gostariam que existisse, que é um mundo onde nenhuma pessoa possui armas. A realidade é que sempre existirão pessoas mal-intencionadas que utilizarão armas para realizar maldades como roubar, matar etc. Desarmar a sociedade civil, ou seja, entregar o seu direito de defesa ao estado, é uma burrice sem tamanho por dois motivos: a polícia não é onipresente e conceder o monopólio das armas ao estado abre margem para o surgimento de governos autoritários ou totalitários. União Soviética, Alemanha nazista, Venezuela, Cuba estão aí para comprovar isto.

Resumindo. Melhoras na segurança pública, endurecimento das leis e redução ou extinção da maioridade penal são importantes, mas lutar pelo direito de portar armas, sejam letais ou não-letais (aqui no Brasil, spray de pimenta é considerado arma química e só pode ser usado por militares; nos EUA vendem em qualquer loja de conveniência), é ainda mais. Isto vale não só para os homens, mas também para as mulheres, que poderiam evitar estupros e atos violentos de machões simplesmente fazendo como a moça da foto (OK, não precisa ser um fuzil, pode ser uma arma menor).

Leituras complementares:


"Número de estupros de Orlando caiu após mulheres receberem treinamento com armas e em artes marciais". http://abr.ai/QuR8SP

"IMB - Como o porte irrestrito de armas garantiu a liberdade dos suíços".
"MVB - Hitler e o desarmamento dos judeus".
"MVB - Garota de 11 anos de idade escreve uma carta que se tornou viral, onde explica porque zonas onde armas são proibidas não a protegem".
"Vídeo - Padre Paulo Ricardo: Sou obrigado à legítima defesa?".
"Livro - Violência e armas: a experiência inglesa".
"Livro escrito por cientista político norte-americano dedica um capítulo inteiro à derrota da ONU no Referendo das Armas realizado no Brasil em 2005".
* IDH 0,001 maior em relação ao Brasil.
** IDH 0,56 maior...
*** IDH 0,19 maior...
**** Número de armas per capita 0,4 menor em relação ao Brasil.
***** IDH 0,32 maior e número de armas per capita 0,2 menor...

ERRATA: Por aviso de um internauta, a África do Sul foi retirada da lista, pois tem um índice de homicídios maior que o Brasil, mas isto não invalida os argumentos apresentados.

Fonte: Diogo Coelho

Um comentário:

César disse...

Caros,
O que faz um bandido bandido é exatamente o fato de não obedecer leis, e essa obviedade é sabida por todos, sobretudo os vermes encastelados no poder!
Entendido isso, fica claro que o objetivo de subtração de armas nas mãos do povo é a garantia de sequestro sem chance nenhuma aos sequestrados.
IMPOSTO nada m,ais é do que ROUBO legitimado pela lei dos proprios ladrões, visto que não é aceito, mas IMPOSTO, como o nome já diz.
Segundo o próprio governo, 92% de tudo o que é arrecadado é para sustentar a máquina pública e 8% é para benfeitorias para a nação, já os dados oficiosos são 98% é para sustentar o estado e 2% é para benfeitorias públicas!
Ou seja 200 milhões sustentam 4 milhões com 98% de cinco meses de trabalho seus. Se isso não é roubo, é o que?
Se cada cidadão tivesse uma arma, nenhum idiota seria estúpido o bastante para tentar roubar alguém, pois quando apontasse a arma para um teria centenas de armas apontadas para a cabeça dele!!
Se cada cidadão tivesse uma arma de igual poder letal às do estado, nenhum agente jagunço de um estado mafioso seria "valente" para matar cidadão.
Mas cidadão armado não precisa de polícia, e a polícia sabe disso e precisa receber seu quinhão do roubo IMPOSTO ao cidadão trabalhador.
Cidadão desarmado não pode ter seus direitos reconhecidos nem que seja na bala e isso é fundamental para os agentes do estado que se arrogam vitalícios e ganham fortunas e são aposentados quando flagrados em delito grave, por serem "excelentíssimos"!
Não é difícil descobrir quem são os reais bandidos, eles criam leis para subtrair as armas dos sequestrados, leis legais para eles, mas só eles.
Nossa única arma no momento é não aceitar ir votar, mostrando que não reconhece o método de escolha dos escolhidos.
Desobediência civil é a única arma legítima que é legitimada mesmo quando o estado exige voto.
Os princípios fundamentais começam em "todos são iguais perante a lei", mas só a ARMA NA MÃO DO POVO garante o exercício dessa lei.

ONDE O ANARCO CAPITALISMO FUNCIONOU?

TESTE SUA VELOCIDADE