Translate - Tradução

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

SEGUIDORES

Não perca o próximo artigo

Pesquisar Neste Blog

sábado, 14 de maio de 2011

Política de beneficiar os países vizinhos




“Paternalismo” do governo federal é o motivo da falência de brasileiros na fronteira gaúcha

Benefícios – Senadora pelo capítulo gaúcho do Partido Progressista, Ana Amélia Lemos classificou como “paternalista” o tratamento que o Brasil tem dado aos vizinhos países do Mercosul. Em seu pronunciamento na manhã desta sexta-feira (13) no plenário do Senado, a parlamentar reclamou da inércia da administração federal.

Declarações semelhantes foram feitas nos últimos dias por conta da renovação do acordo com o Paraguai. O Brasil passará a pagar valor triplicado pela energia excedente da Binacional Itaipu.
A notícia da aprovação do acordo pelo Senado, na noite de quarta-feira (11), seria transmitida pessoalmente no domingo (15) por Dilma Rousseff (PT).

Como a saúde da presidente não anda bem, ela será representada pelo presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP). Em declaração feita hoje e registrada pela “Agência Senado”, Sarney afirmou que o tratado de Itaipu “foi um passo importante para fortificar as relações entre Brasil e Paraguai.
Acho que o Brasil agiu bem na revisão que fez. Nem nós demos o que eles pediram, nem tivemos qualquer prejuízo”.

Ana Amélia afirmou que comerciantes brasileiros do extremo sul gaúcho estariam falindo por não conseguirem enfrentar a concorrência com os comerciantes uruguaios. Para enfrentar o problema, a parlamentar defendeu a criação de “free shops” nas cidades de Jaguarão, Quarai, Livramento e outras fronteiriças com o Uruguai.


Segundo a senadora, o governo brasileiro, apesar de sofrer restrições comerciais do bloco, continua com a política de beneficiar os países vizinhos. Ela citou a barreira comercial adotada pela Argentina em relação às máquinas e equipamentos agrícolas brasileiros e a criação de “free shops” pelo governo uruguaio na fronteira com o Brasil, que prejudicam os empresários verde-louros.

Com as restrições, a Argentina impediu nos últimos meses a entrada de oitocentas máquinas brasileiras em seu território.
Em consequência, mais de trezentos trabalhadores dessas indústrias foram demitidos e as empresas já pensam em se transferir para o país lindeiro e passar a enfrentar a concorrência brasileira.


FONTE: http://ucho.info/
TAGS:"keywords"content=" Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos, Política de beneficiar os países vizinhos

Um comentário:

Anônimo disse...

Concordo e lamentavel o problema explicado no Sul. - No outro lado - os "amigos" (da onca - la nos EUA e UE) denunciam o "imperialismo brasileiro" dos concorcios do Brasil acima dos outros paises na America do Sul.

ONDE O ANARCO CAPITALISMO FUNCIONOU?

TESTE SUA VELOCIDADE