Translate - Tradução

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

SEGUIDORES

Não perca o próximo artigo

Pesquisar Neste Blog

sábado, 6 de junho de 2015

A perseguição aos judeus na UFSM: é ainda mais asquerosa que parece.

José Fernando Schlosser, pró-reitor substituto da Universidade Federal de Santa Maria-RS, enviou um memorando aos responsáveis pelos programas de pós-graduação cobrando “o envio urgente” de uma relação de alunos e professores oriundos de Israel.

O texto informa que “esta demanda atende solicitação de requerimento de representantes da SEDUFS, ASSUFSM, DCE e Comitê de solidariedade ao povo palestino”.

Ou seja: grupos militantes pró-Palestina queriam identificar todos os judeus locais, assim como grupos oficiais e para-oficiais faziam na Alemanha, nos anos precedentes ao Holocausto.

O memorando ganhou repercussão e críticas na internet ontem e hoje, mas a solicitação original dos grupos militantes é ainda mais asquerosa em sua propaganda anti-israelense.

Ela escancara a razão do pedido em duas linhas, ao considerar “lamentáveis” os fatos ocorridos na Palestina, mais especificamente “a agressão de Israel à Faixa de Gaza”.

Em seguida, cita princípios constitucionais brasileiros que teriam sido “flagrante e covardemente violados” pelo Estado de Israel no “massacre” contra o povo palestino. A palavra “massacre”, no caso, é atribuída a Dilma Rousseff, a “primeira mandatária” do antissemitismo nacional.

O documento tem sete parágrafos iniciados por “CONSIDERANDO”, sendo que as únicas coisas a serem consideradas sobre o conflito histórico são essas afetações de indignação contra Israel.

O grupo terrorista islâmico Hamas, que, sob vista grossa da Autoridade Nacional Palestina, ataca o povo israelense dia e noite com mísseis e homens-bombas, obviamente nem é mencionado.

Depois dos sete “CONSIDERANDOS”, vêm mais 5 itens de pressão política sobre a UFSM sob a forma de questionamentos acerca das relações da universidade com recursos, empresas, pessoas jurídicas, professores e alunos vinculados a Israel, para então encerrar com a solicitação dos respectivos nomes e cópias dos documentos correspondentes.

É ver para crer.




FONTE: Felipe Moura Brasil 

Jornal do PSOL comemora a queimada da bandeira de Israel em Porto Alegre, junto a protestos em solidariedade a Palestina  CLIQUE AQUI.

Cinegrafista palestino dá palestra na UFSM CLIQUE AQUI.

SEDUFSM faz reunião no Clube comercial de Santa Maria pela causa palestina CLIQUE AQUI

Diretório nacional do ANDES elogia iniciativa pró-palestina CLIQUE AQUI

Protesto contra empresa israelense reúne UFSM, UFRGS, PUCRS e UNISINOS CLIQUE AQUI

Protestos contra empresa israelense no RS CLIQUE AQUI 

CUT comemora a retirada da empresa israelense do RS CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

ONDE O ANARCO CAPITALISMO FUNCIONOU?

TESTE SUA VELOCIDADE