Translate - Tradução

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

SEGUIDORES

Não perca o próximo artigo

Pesquisar Neste Blog

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Eu não mereço ser desarmado.



Segue 10 motivos do por que, eu não mereço ser desarmado.  E logo abaixo mais um link com
uma excelente reflexão sobre [ A inversão dos direitos das vítimas ]   
Portanto, se você concorda com essa campanha compartilhe.
1- O cidadão tem o direito de poder se proteger. A autodefesa é um direito instintivo do ser humano e o Estado não pode permitir que o cidadão se defenda sem ter os mesmo recursos dos bandidos.

2- O cidadão já paga caro nos seus impostos, mas o governo não provê segurança. Imagine um fazendeiro tendo sua propriedade invadida por dois pistoleiros. Você acha que se ele chamar a polícia ela vai chegar antes dos pistoleiros o matarem?

3- O que mata não são as armas, são as pessoas. Uma arma sozinha é inofensiva sozinha. Agora, um bandido até com uma lápis é algo perigoso. Logo, a preocupação do Estado não deve ser coibir a venda de armas, mas sim a prisão dos marginais.

4- O Estado não deve desarmar os cidadãos de bem. O Estado deve desarmar os bandidos. Desarmar o cidadão de bem apenas faz dele um alvo mais inerme aos ataques dos marginais.

5- O direito de propriedade não deve ser restringido sem resistência. O Estado não pode se acostumar com em tomar nosso direito a vida, à legítima defesa e à propriedade.

6- Já existe uma tremenda regulamentação para se ter o porte de armas no Brasil. O problema do Brasil é o armamento ilegal que cai nas mãos dos bandidos. Logo, não deve ser as armas legais que devem preocupar o Estado.

7- Bandido não compra arma na loja. Aliás, qualquer um consegue arma e munição no mercado negro. Tirar o direito do cidadão se defender é uma hipocrisia.

8- Experiências internacionais mostram que a proibição do comércio de armas não reduz a violência, como pudemos ver no Canadá, Inglaterra e Austrália. Desde a proibição os crimes aumentaram 35% na Inglaterra e não houve aumento ou queda alguma no Canadá.

9- O comércio de armas movimenta mais de 15 milhões de reais no Brasil, empregando milhares de pais de família honestos no nosso país. Acabar com esse comércio acabaria por gerar desemprego formal e aumento do comércio no mercado negro de armas, onde apenas os bandidos seriam beneficiados.

10- O Brasil já conta com o sistema da Polícia Federal e do Exército para controlar as armas no Brasil. Já temos uma enorme burocracia e um imposto enorme na venda de armas. A violência no Brasil não ocorre por causa das armas, mas por causa da impunidade e da falta de policiamento e investimento na educação.

O bandido que não deve ter o direito de cometer crimes, contudo, o que vemos é a inversão desta máxima e não só o bandido tendo direito a fazer o que bem entender, mas os cidadãos não tendo o direito de defenderem-se.
Na mente doentia dos defensores de bandidos, conhecidos também como ativistas dos “Direitos Humanos”, sejam cidadãos “comuns”, ou políticos conhecidos (como a secretária de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário), o cidadão deve deixar o criminoso fazer com ele o que bem entender e não reagir, ou utilizar de “violência” contra o bandido (ou seja, eles nos agridem e reagir é “violência”), pois devemos respeitar “os direitos humanos” desses “coitadinhos marginalizados pela sociedade burguesa, capitalista e fascista (?) malvadona”.
CONTINUA. . .

Nenhum comentário:

ONDE O ANARCO CAPITALISMO FUNCIONOU?

TESTE SUA VELOCIDADE