Translate - Tradução

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

SEGUIDORES

Não perca o próximo artigo

Pesquisar Neste Blog

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões



Foi a Marfrig, indústria de alimentos dona da marca Seara, quem liderou as perdas no Ibovespa ontem. Por Leila Coimbra e Tatiana Freitas, na Folha:

Em um dia de pânico nos mercados, a Petrobras e a Vale, as principais empresas do Ibovespa, perderam ontem, juntas, R$ 42,6 bilhões de seu valor de mercado. O cálculo é da consultoria Economática, a pedido da Folha. Os papéis da Vale caíram, na média, 9,4%, o que representou queda de R$ 20,8 bilhões no valor de mercado da empresa. Os da Petrobras recuaram 7,77%, o que reduziu o valor da companhia em R$ 21,8 bilhões. Na última semana, a Petrobras já perdeu R$ 66,6 bilhões. Sua capitalização atual está em R$ 258 bilhões. Já a Vale perdeu R$ 51 bilhões, para R$ 201 bilhões. O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, disse que o cenário é incerto, mas sugeriu que poderá haver alta das commodities. “Com taxas de juros historicamente baixas, aumenta a demanda no mercado futuro de commodities, e pode ser que isso provoque pressão altista no preço do petróleo.”

MARFRIG

Foi a Marfrig, indústria de alimentos dona da marca Seara, quem liderou as perdas no Ibovespa ontem. Depois de cair quase 28% durante o dia, os papéis fecharam em queda de 24,8%, a R$ 9,02. Desde quinta-feira passada, a empresa já perdeu 40% de valor. Ontem, as ações da Marfrig movimentaram R$ 69 milhões e uma corretora, sozinha, vendeu R$ 24 milhões. A concentração das vendas em uma única corretora pode sinalizar que um grande fundo tenha se desfeito, de uma só vez, de uma quantia grande de ações da empresa. A relação dessa operação com a gestora de recursos coreana GWI, dona de 5% das ações da Marfrig, foi inevitável ontem no mercado. Conhecida por operações arriscadas e dona do único fundo que quebrou com a crise de 2008, a GWI tinha uma alta exposição à Marfrig. Em abril, um de seus fundos [o GWI Private Investimento no Exterior] tinha 73% da carteira em ações da Marfrig. O GWI Leverage aplicava 46% da carteira na empresa, segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Bolsas asiáticas têm novo dia de perdas

As bolsas asiáticas enfrentaram mais um dia de perdas nesta terça-feira, 9, após fortes quedas nos mercados europeus e em Wall Street na véspera. A alta de 6,5% do índice de preços ao consumidor da China em julho, acima do esperado pelos economistas, ajudou a acelerar as perdas dos índices na abertura. Ao longo do dia, porém, os mercados conseguiram se recuperar, o que não impediu que algumas bolsas da região encerrassem com baixas relevantes.

Os investidores seguem receosos de que uma nova desaceleração afete a economia dos Estados Unidos. Na semana passada, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s rebaixou os títulos de dívida de longo prazo norte-americanos. Em Tóquio, o índice Nikkei 225 chegou a cair mais de 4% após a abertura, mas recuperou parte das partes e encerrou o pregão em baixa de 1,7%.

Em Seul, o pregão chegou a ser interrompido, quando a bolsa acumulava perdas próximas de 10%. O índice Kospi terminou o pregão com queda 3,6%, ainda assim o pior resultado desde setembro de 2010. A Bolsa da Sydney também oscilou fortemente, saindo de uma perda de cerca de 5% no início do pregão para um ganho de 1,2% no fechamento.

Bovespa
A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou a segunda-feira em queda de 8,08%, mas chegou bem perto de ter os negócios interrompidos, o chamado circuit breaker. Isso aconteceria se o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - batesse em uma perda de 10%. No pior momento do dia, a queda chegou a 9,73%.
China registra maior inflação dos últimos 37 meses em julho
Custos com alimentação impulsiona o aumento de 6,5% nos preços chineses

A inflação chinesa alcançou em julho 6,5%, um décimo mais que no mês anterior, na maior alta de preços em 37 meses, apesar dos esforços do governo do país para controlar a espiral inflacionária.

Alguns analistas haviam previsto que o pico dos preços na China seria alcançado em junho, e que na segunda metade do ano haveria uma estabilização, mas os dados publicados nesta terça-feira pelo Birô de Estatísticas da China revelaram que a inflação chinesa ainda não tocara o teto.

Os alimentos, que subiram 14,8% no sétimo mês do ano (quatro décimos mais que em junho), foram o principal fator da alta, como acontecera em meses anteriores.

A alta dos preços não alimentícios da cesta do IPC, por outro lado, desacelerou em julho (2,9%) com relação a junho (3%).

A instituição também divulgou o Índice de Preços de Produção, medidor da inflação no comércio no atacado, e que mostrou taxas ainda mais altas, de 7,5% em julho (quatro décimos mais que em junho).

Pequim considera que um aumento excessivo dos preços pode causar não só problemas macroeconômicos mas também sociais, como ocorreu em 1989, já que os protestos da Praça da Paz Celestial foram precedidos por uma forte inflação (que chegou a 7% em 1987 e a 18% em 1988).

Por isso, o regime comunista fixou como principal prioridade macroeconômica para este ano a contenção dos preços, tomando medidas como a alta das taxas de juros (em três ocasiões) e o aumento do depósito compulsório nos bancos (seis vezes).
Fonte: Folha/O Estado de S. Paulo/Veja


TAGS:"keywords"content=" Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões, Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões, Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões, Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões, Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões, Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões, Petrobras e a Vale, perderam juntas, R$ 42,6 bilhões

Nenhum comentário:

ONDE O ANARCO CAPITALISMO FUNCIONOU?

TESTE SUA VELOCIDADE